A eleição no estado do Rio de Janeiro teve 22 detenções por irregularidades cometidas por cabos eleitorais, eleitores e candidatos. Segundo balanço do Tribunal Regional do Estado do Rio de Janeiro (TRE-RJ), divulgado ao fim da votação, foram registradas 24 ocorrências, resultando na prisão de sete candidatos.

Apesar de ter sido divulgado após o fechamento das urnas, o balanço ainda é parcial, e os números podem ser atualizados.

As 24 ocorrências foram nos municípios de Búzios, Santa Maria Madalena, Natividade, Nova Iguaçu, Belford Roxo, São Gonçalo, Petrópolis, Paraíba do Sul, Teresópolis, Italva, São João de Meriti e Saquarema. Na capital, também foram registradas ocorrências, como a de um eleitor que foi flagrado tirando foto de seu voto em Vila Isabel.

O número de urnas eletrônicas substituídas por apresentarem defeito chegou a 563, o que representa um percentual de 1,75% das 32 mil urnas que receberam votos no estado. Entre elas, 327 estavam em seções eleitorais na capital. Segundo o TRE-RJ, não houve necessidade de realizar votação manual em nenhuma seção eleitoral.

Segundo o presidente do TRE-RJ, desembargador Cláudio Brandão de Oliveira, o número de urnas substituídas não é assustador, se comparado ao de eleições anteriores.

Segurança
Oliveira disse que o pleito ocorreu de forma segura e sem incidentes graves. Podemos afirmar que as eleições no estado do Rio de Janeiro transcorreram de uma forma segura. Não tivemos registro de problemas significativos, que ultrapassem o que seria normal em uma eleição com 12 milhões de eleitores.

O desembargador acrescentou que as forças de segurança atuaram de forma efetiva e cumpriram o planejamento. É possível afirmar que foi um sucesso a eleição no Rio de Janeiro. Falta uma etapa. Até este momento, tanto na parte de segurança, na parte de segurança de eleitores, o que ocorreu foi muito pouco para uma eleição dessa magnitude.




banner_eleicoes2020_miolo.jpg

– Vinícius Lisboa – Repórter da Agência Brasil – YWD 11328