Criada para o pagamento do Auxílio Emergencial do Governo Federal, em razão da Covid-19, a poupança social digital atingiu a marca de 100 milhões de contas no aplicativo Caixa Tem. O número foi comemorado em cerimônia, no Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (4), com a presença do Presidente Jair Bolsonaro e ministros.

Além disso, agora 67 milhões de brasileiros que eram invisíveis têm conta bancária. “Essas pessoas, nós tínhamos que, de forma bastante rápida e objetiva, atendê-las. Isso não seria possível se não fosse a nossa Caixa Econômica Federal, com seus quase 1/4 de milhões de funcionários”, afirma o Presidente Jair Bolsonaro. “Mais do que atender a quem necessitava, os senhores evitaram que problemas sociais graves viessem a acontecer no Brasil.”

Durante o evento, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, explicou que, com o banco digital, é possível fazer compras e pagamentos sem sair de casa. “Isso é uma revolução”, ressalta. “Já chegamos a 105 milhões de contas digitais. Entre programar e realizar o evento, já ganhamos mais 5 milhões de contas digitais”, comemora.

Segundo ele, é o maior processo de bancarização da história do país para que os benefícios sociais cheguem a quem mais precisa. “O maior programa de inclusão social foi feito”, afirma Guimarães.

Acesso
A poupança social digital foi criada, inicialmente, para o pagamento do Auxílio Emergencial e, em outubro, o Presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que transformou a conta em permanente, com o objetivo de permitir que as famílias de baixa renda tenham acesso ao sistema bancário de forma simplificada e sem custos.

Assim, a poupança social digital poderá ser utilizada para o recebimento de outros benefícios como abono salarial, seguro-desemprego e o Bolsa Família, além de benefícios estaduais e municipais. Antes da sanção da lei, a conta era destinada apenas para os pagamentos do Auxílio Emergencial, Auxílio Emergencial Extensão, do saque emergencial do FGTS e do Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm).

O correntista também pode utilizar a poupança para pagar boletos bancários. Além disso, são permitidas três transferências eletrônicas e um saque por mês sem custo. A vantagem para o cliente da poupança social digital é que ele não precisa pagar tarifa de manutenção.

O limite da movimentação mensal é de R$ 5 mil. A Caixa é responsável pela operação das contas. A poupança social digital pode ser fechada ou convertida em conta depósito à vista ou de poupança regular a qualquer tempo, sem custos adicionais.

O presidente da Caixa ainda ponderou que, após o encerramento do pagamento do Auxílio Emergencial, a poupança social digital será um meio para fazer o microcrédito chegar aos brasileiros.

“Mais de 10 milhões de brasileiros, pelo menos 10, serão inseridos no microcrédito após o auxílio. Pode até ser mais, mas o que vamos fazer é utilizar esse banco digital para emprestar R$ 500 até R$ 1 mil com taxas muito menores”, adianta Pedro Guimarães.

Abertura da conta
A poupança social digital pode ser aberta com menos burocracia, sem a apresentação de documentos adicionais no caso de o titular já estar previamente cadastrado pela instituição financeira ou pelo poder público.

No caso de pessoas que tenham sido cadastradas para o recebimento do Auxílio Emergencial, abono salarial, saque do FGTS ou o Programa Emergencial de Manutenção de Empregos, a conta é aberta de forma automática. No caso de benefícios previdenciários, o titular poderá solicitar a abertura da conta.

A Caixa disponibilizará no site e no aplicativo, uma ferramenta de consulta onde o cidadão poderá verificar se há alguma conta em seu nome, a partir da consulta pelo CPF.

Aplicativo
O acesso à poupança social digital se dá por meio do aplicativo Caixa Tem, que conta com um cartão de débito virtual e o pagamento de compras por QR Code. O saque da conta digital pode ser feito em mais de 20 mil agências, lotéricas e caixas eletrônicos em todo o país. – Agência Brasil – YWD 10761