O Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) manteve sua política monetária de afrouxamento intacta nesta quinta-feira e se comprometeu novamente a fazer o que puder nos próximos meses para sustentar uma recuperação econômica norte-americana ameaçada pela pandemia e que enfrenta incertezas em torno de uma eleição presidencial ainda indefinida.

O banco central dos EUA não comentou sobre a eleição em seu comunicado de decisão de política monetária divulgado após reunião de dois dias, mas o chair do Fed, Jerome Powell, provavelmente tratará de preocupações sobre as próximas semanas em uma entrevista coletiva às 16h30 (horário de Brasília).

A atividade econômica e o emprego continuaram a se recuperar, mas permanecem bem abaixo de seus níveis no início do ano, disse o Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) do banco central em uma decisão unânime, que deixou a principal taxa de juros do banco central inalterada, próxima de zero. A pandemia da Covid-19 está causando enormes dificuldades humanas e econômicas nos Estados Unidos e em todo o mundo.

Em um comunicado praticamente idêntico ao emitido na reunião de setembro, o Fed repetiu sua promessa de usar seu amplo conjunto de ferramentas para sustentar a economia e prometeu não considerar o aumento das taxas de juros até que o emprego máximo fosse recuperado e a inflação estivesse acima de sua meta de 2%.

O Fed disse que por enquanto continuará comprando ao menos 120 bilhões de dólares por mês em títulos do governo, e usará suas outras ferramentas e programas conforme necessário dependendo de como a economia evolui.

O relatório de emprego nos EUA para outubro, a ser divulgado pelo Departamento do Trabalho na sexta-feira, dará a visão mais atualizada sobre a rapidez com que a economia está levando os milhões de desempregados pela pandemia de volta ao trabalho.

Mas, além disso, o Fed vai estar agora aguardando para ver se o presidente republicano Donald Trump permanece no cargo ou se o democrata Joe Biden assume o controle da Casa Branca, e o que cada cenário pode significar em termos de gastos adicionais do governo para ajudar os que estão sem trabalho.

– Howard Schneider e Ann Saphir – Repórteres da Agência Brasil – YWD 10725