O Palmeiras está na semifinal da Série A1 (primeira divisão) do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. Neste domingo (1º), atuando com uma jogadora a menos desde os 35 minutos do primeiro tempo, as palestrinas foram derrotadas pela Ferroviária por 1 a 0, no tempo normal, mas, como tinham vencido o jogo de ida em São Paulo por 2 a 1, a decisão pelas quartas de final foi para os pênaltis. E aí, deu Verdão na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara (SP): 4 a 2.

Ironicamente, a Ferrinha pavimentou a trajetória do título em 2019 justamente nas penalidades, superando Santos, Avaí/Kindermann e Corinthians, sempre decidindo fora de casa. Desta vez, por terem campanha melhor que a do Palmeiras, as Guerreiras Grenás – que se classificaram em quarto e haviam goleado as alviverdes na primeira fase, por 4 a 1 – disputaram a segunda partida em Araraquara.

As palmeirenses, que passaram de fase na quinta posição, aguardam quem avançar entre Corinthians e Grêmio, que fazem o jogo de volta nesta segunda-feira (2), às 19h (horário de Brasília), na Neo Química Arena. No duelo de ida, em Porto Alegre, o Timão venceu por 3 a 0 e tem vantagem confortável. Há, portanto, a possibilidade de um Derby Paulistano decidir vaga na decisão do Brasileiro Feminino.

Diferentemente do jogo anterior, em que o Palmeiras tomou a iniciativa e só depois recuou as linhas, desta vez a Ferroviária ocupou o campo adversário desde o início. A pressão deu resultado aos 35 minutos. Após uma cobrança de falta na área, a atacante Lurdinha bloqueou a finalização da também atacante Chu com a mão e foi expulsa. A meia Aline Milene cobrou a penalidade e colocou as Guerreiras Grenás à frente. Com uma a menos, as palestrinas se fecharam para atuar no contra-ataque. A Ferrinha pressionou, mas parou na marcação alviverde.

Nos pênaltis, a zagueira Luana, da Ferroviária, teve a cobrança defendida pela goleira Vivi. Na sequência, a também zagueira Agustina, do Palmeiras, tentou deslocar a goleira Luciana, mas mandou para fora. O confronto permaneceu igual até a quarta batida, quando a atacante Nenê, da Ferrinha, chutou à direita da meta. Coube à meia Camilinha o gol da classificação histórica das alviverdes.

Confronto definido
Ter a melhor campanha também nada adiantou para Santos e Internacional. Na Arena Barueri, as Sereias da Vila – que encerraram a primeira fase em segundo – foram superadas pelo São Paulo por 2 a 0, caindo pelo terceiro ano seguido nas quartas de final. As tricolores, que foram ao mata-mata na sétima colocação, chegam pela primeira vez a semifinal e terão pela frente o Avaí/Kindermann. O time catarinense, sexto melhor da fase anterior, visitou o Colorado, que foi o terceiro, ficando no 1 a 1. Como venceu o jogo anterior por 3 a 2, a equipe de Caçador (SC) seguiu adiante.

São Paulo venceu Santos por 2 a 0

São Paulo venceu Santos por 2 a 0

São Paulo venceu Santos por 2 a 0 – Pedro Ernesto Guerra Azevedo/ Santos FC
Em Barueri, as são-paulinas se colocaram no campo de ataque, dificultando a saída de bola santista e abrindo o placar logo aos 10 minutos. A meia Jaqueline foi lançada na área, pela esquerda, e chutou forte, sem chances para a goleira Michelle. O Santos pressionou e teve chances com a lateral Fê Palermo e atacante Larissa. Na etapa final, a expulsão da lateral Giovana, aos 38 minutos, fez as Sereias avançarem ainda mais as linhas, mas, nos acréscimos, a zagueira Thaís Regina converteu pênalti sofrido pela atacante Duda e garantiu a vaga ao Tricolor.

Em Porto Alegre, Inter e Avaí ficam no empate.

Em Porto Alegre, Inter e Avaí ficam no empate.

Em Porto Alegre, Inter e Avaí ficam no empate. – Mariana Capra/Internacional/Direitos reservados
No Beira-Rio, o jogo foi aberto, com oportunidades de ambos os lados. No primeiro tempo, a meia Shashá e a atacante Byanca Brasil chegaram perto do gol para o Inter, enquanto as atacantes Catyellen e Lelê – que acertou o travessão – ficaram no quase pelo Avaí/Kindermann. A rede só balançou na etapa final. Aos seis minutos, Byanca dividiu com a goleira Letícia (que substituiu Bárbara, com covid-19) e, na sobra, a atacante Jheniffer abriu o placar. Aos 35, em jogada de escanteio, Lelê desviou e a zagueira Siméia, de cabeça, classificou as catarinenses.

– Lincoln Chaves – repórter da Rádio Nacional e da TV Brasil – YWD 10675