A aplicação do pré-teste do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) está prevista para maio de 2021. O objetivo dessa etapa é aperfeiçoar a avaliação e verificar o funcionamento dos itens da prova. O estudo principal da próxima edição foi adiado para 2022 em virtude do período de distanciamento social. Os preparativos seguem em todos os países participantes.

Mesmo diante do adiamento, a amostra das escolas selecionadas não será alterada. Contudo, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) fará um novo contato com as instituições de ensino para confirmar o interesse em participar desta edição do programa.

O Pisa avalia três domínios: leitura, matemática e ciências. Cada edição conta com um domínio principal. Desse modo, os estudantes respondem a um número maior de itens dessa área de conhecimento específica. O Pisa 2022 se concentrará em matemática, com uma avaliação adicional de Letramento Financeiro e um teste, inédito, de Pensamento Criativo.

Os resultados do programa permitem que cada país avalie os conhecimentos e as habilidades dos estudantes em comparação a outros países. O Pisa também permite um intercâmbio de políticas e boas práticas entre as nações e economias participantes, o que serve como subsídio para a formulação de estratégias e programas educacionais, com o objetivo de aumentar a qualidade e aperfeiçoar a equidade da aprendizagem.

Adiamento
A próxima edição do Pisa estava prevista para ocorrer em 2021. Entretanto, com as dificuldades impostas pelo período de distanciamento social, os países-membros e associados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) decidiram adiar a aplicação do estudo principal de 2021 para 2022. Com isso, o Pisa 2024 ocorrerá em 2025.

Pisa
Promovido a cada três anos pela OCDE, o Pisa é um estudo comparativo internacional que oferece informações sobre o desempenho dos estudantes na faixa etária dos 15 anos, idade em que se pressupõe o término da escolaridade básica obrigatória na maioria dos países.

Desde a primeira edição, em 2000, o número de países e economias participantes aumenta a cada ciclo. Na última edição, em 2018, as provas e os questionários foram aplicados em mais de 80 países. Há uma coordenação nacional em cada país participante. O Inep é responsável pelo planejamento e a operacionalização no Brasil, que participa do programa desde a primeira edição. – Agência Brasil – YWD 10820